Parataekwondo, a grande novidade dos PARAJAPS

A cidade de Londrina foi sede da 7ª edição dos Jogos Paradesportivos do Paraná (PARAJAPS). O evento foi realizado entre os dias 14 a 18 de novembro e uma das novidades foi o ingresso do Parataekwondo. A disputa foi no Centro de Treinamento Associação Madureira de Taekwondo, em Londrina. A modalidade teve três equipes inscritas no feminino: Curitiba, Londrina e Cascavel. No masculino, o Parataekwondo contou com oito equipes inscritas: Curitiba, Cambé, Londrina, Maringá e Cascavel.

E Cascavel foi a grande campeã geral do Parataekwondo nos PARAJAPS ao ficar em primeiro lugar tanto no feminino quanto no masculino. No feminino, o pódio teve Curitiba em segundo lugar e Londrina em terceiro. E no masculino, Maringá ficou com a prata e Curitiba garantiu a terceira posição.

Mas a grande vitória mesmo foi o ingresso da modalidade nos Jogos Oficiais do Estado do Paraná, como explica o professor Rodrigo Ferla, um dos organizadores do Parataekwondo nos PARAPAPS. “O Parataekwondo ter ingressado nos PARAPAJS é um passo importante para o desenvolvimento da modalidade aqui no Paraná. É uma modalidade nova, que vai ser incluída em 2020 nos Jogos Paralímpicos e tem crescido mundialmente e nacionalmente. O Paraná, por ser um Estado muito forte no Taekwondo nacional, ele precisa sair na frente. É o primeiro Estado a fazer um evento oficial da modalidade. Foi um passo muito grande para o Parataekwondo no Paraná”, analisou Ferla.

Ele ressaltou ainda a adesão das equipes no evento em Londrina. “Tivemos a participação de cinco cidades em três classes do Parataekwondo, que foi a P10, para deficiente visual, a P20 para deficiente intelectual e a K40 para deficientes físicos”, explica.

Segundo Ferla, o desafio agora é proporcionar o crescimento do Parataekwondo com a busca de novos atletas que não tiveram a oportunidade de participar dos PARAJAPS. “Já sabemos que existem mais atletas em outras cidades e estaremos trabalhando para que, no ano que vem, tenhamos um número maior tanto na quantidade de atletas como de cidades participantes. E fortalecer a modalidade para que possamos ter atletas participantes do Campeonato Brasileiro de Parataekwondo do ano que vem. E quem sabe pensar em ter uma atleta aqui do Paraná representando o Brasil em um evento internacional”, finalizou.