O orgulho de representar as cores do Paraná

Na bagagem, os utensílios pessoais e roupas leves. Mas nela estará também o uniforme que tem o brasão da Federação Paranaense de Taekwondo (FPTKD) e as cores do Paraná. Com esse uniforme, vem a responsabilidade de representar o próprio Estado em uma competição de peso. Os atletas do Taekwondo paranaense vão participar da Copa Brasil da modalidade, na cidade do Rio de Janeiro. O evento inicia nesta quinta-feira (06) com o congresso técnico e os trâmites da organização. A partir desta sexta-feira (07) até domingo (09) os representantes do Paraná vão compartilhar o espaço com os principais atletas do Taekwondo nacional.

Aliás, a delegação paranaense será uma das maiores da competição, como explica Ricardo Zimmer, presidente da FPTKD. “Nós estamos indo para esta competição com 72 atletas. Saímos de três pontos do Estado: Cascavel, Curitiba e Londrina. E vamos com uma delegação para brigar entre o primeiro e o segundo lugares”, disse Zimmer.

Esta vai ser a última grande competição da temporada para o Taekwondo paranaense e cada atleta terá a chance de aumentar a pontuação no ranking nacional. O orgulho de representar o Paraná foi expressado por Lainy Makerly e Luane Camargo, atletas que treinam com o mestre Zimmer na Associação Oeste-Paranaense de Taekwondo (AOPTKD), em Cascavel. “O pessoal de Cascavel se destaca em seletivas nacionais, Copa Brasil e Brazil Open. Em todos estes campeonatos, os atletas daqui estão medalhando. Ou seja, nossa equipe de Cascavel tem um potencial muito grande e vai fazer bonito nesta Copa Brasil. Somos de Cascavel mas representamos o Paraná”, disse Lainy, de 15 anos, que foi campeã da Copa Brasil no ano passado em Brasília e agora vai disputar o torneio na categoria Juvenil até 49 quilos.

“É uma satisfação enorme. Já fomos para outros campeonatos nacionais representando o Paraná. E agora, com esse número de lutadores, temos condições de ficar entre os primeiros lugares”, disse Luane, atleta de 14 anos, que foi vice-campeã da Copa Brasil em 2017 e que agora vai lutar na categoria Cadete até 41 quilos.

De Cascavel, a delegação paranaense conta ainda com Fabiana Santiago, de 16 anos, e Gustavo Lis Lupion, de 11 anos. Dos quatro, Fabiana é quem tem uma experiência maior em competições desse porte. Em 2017, ela foi campeã da mesma competição em Brasília, na categoria Juvenil. Agora, será a última competição da atleta nesta categoria. Em 2018, ela acrescentou no currículo a participação em um torneio internacional no Marrocos. Isso faz com que ela compartilhe as experiências com os atletas mais jovens. “Ano passado fui ouro na Copa Brasil e agora quero me tornar bicampeã. Para os meus colegas que estão indo para esta competição, eu digo para ter foco e ter determinação. Lutar muito forte. A dificuldade é que neste evento estarão os maiores lutadores do Brasil”, disse Fabiana.

Esse conselho de Fabiana foi bem aceito por Gustavo Lis Lupion, o caçulinha do quarteto cascavelense na Copa Brasil. O lutador de 11 anos esteve na edição passada do torneio e ficou em terceiro lugar. Nos agradecimentos, ele não esqueceu de ninguém. “Vou pedir dicas para os colegas e vou me esforçar o máximo lá. Tentar vir com a medalha de campeão. Quero agradecer a Deus por esta oportunidade. A meus mestres por terem me treinado todo esse tempo, aos meus pais que sempre me acompanharam e o meu patrocinador Divino’s Lanches”, disse ele. Gustavo, assim, como Luane, são atletas do Mestre Eurico Chagas, na Escola Dei Bambini, em Cascavel.

Como os quatro atletas de Cascavel, apesar de jovens, participaram de competições desse porte em outras situações, Ricardo Zimmer destaca que esta experiência é importante para que alcancem seus objetivos no Rio de Janeiro. “Essa experiência ajuda e muito principalmente no psicológico dos lutadores. Essa preparação dos atletas começou no início do ano visando todos os eventos nacionais. E este é o último evento do ano. Então, eles estão num desgaste físico maior, mas estão preparados. São atletas experientes em suas respectivas categorias”, finalizou o treinador.